Beterraba

Versátil, a beterraba vai bem crua na salada, cozida, no suco de laranja, frita, em sopas... Sua utilidade ultrapassa a cozinha e ela começa a aparecer como alternativa para ajudar a preservar o meio ambiente

Beterraba
Nome

Com a designação científica Beta vulgaris, esse vegetal tem seu nome derivado do francês betterrave, com origem no latim betta (acelga) e rapa (variação de rapum, nabo). Em outros países também tem base no nome botânico da acelga, beta, às vezes com variações. Em inglês chama beet (EUA) ou beetroot (Inglaterra). Em holandês, aparece como beet também. Em espanhol é chamada beterraga ou remolacha. A palavra barbabietola, em italiano, tem novamente relação com acelga (bietol). Em alemão, seu nome, rübe, também faz referência a nabo, sendo ainda conhecida como zuckerrübe (zucker significa açúcar).

Origem

Planta típica do clima temperado, a beterraba tem sua origem na Europa e no norte da África. Em um primeiro momento, apenas as folhas da beterraba eram usadas na alimentação. Acredita-se que os antigos romanos foram os primeiros a usar a raiz como alimento.

Os bárbaros invasores de Roma difundiram pela Europa o cultivo da beterraba, que era usada, primeiro, para os animais, e depois na alimentação humana. No século 19 tornou-se popular com a descoberta de sua aplicação na produção de açúcar e a criação das primeiras fábricas. Sua popularidade foi incentivada por Napoleão quando o conflito entre França e Inglaterra abalou o comércio e impediu o acesso do continente à cana de açúcar.

Nessa mesma época, a beterraba foi levada às Américas do Norte e do Sul. Napoleão teve novamente influência na difusão da cultura da beterraba na região: quando a família real fugiu para o Brasil, com o objetivo de impedir que as tropas do imperador conquistassem Portugal, trouxe diversos cultivos, entre eles o da beterraba.

Propriedades nutricionais

Uma das vantagens da beterraba é a quantidade que possui de potássio, mineral importante para o organismo. Segundo a nutricionista Ana Ceregatti, o potássio tem papel na condução do equilíbrio da pressão arterial e na contração muscular.

"Comparada com outros alimentos também em forma de raiz, como a cenoura e o rabanete, ela é a que mais tem carboidratos, mas mesmo assim não deve ser evitada em dietas de emagrecimento, pois as quantidades não são significativas."

Abaixo, a nutricionista apresenta a tabela nutricional da beterraba.

Tabela nutricional da beterraba
(clique na imagem para ampliar)
Propriedades medicinais

A beterraba ficou "famosa" como ingrediente saudável para evitar anemia. Entretanto, a nutricionista Ana avisa que, ao contrário do que se pensa, ela não é recomendada para esse objetivo. "Ela contém baixíssimos teores de ferro", avisa. Em cada 100 g de beterraba, há 0,3 mg de ferro - menos que a vagem crua ou o pimentão verde, por exemplo, que tem 0,4 mg. Para comparação, o espinafre cru tem 2,71 mg de ferro para cada 100 g.

Mas esse legume tem outras vantagens, como a presença da betacianina. "Esse composto, que lhe confere a cor avermelhada, é um dos vários antioxidantes que têm como função combater os radicais livre produzidos naturalmente pelo nosso organismo", comenta Ana. "A ingestão de compostos antioxidantes, incluindo a betacianina, está associada ao aumento da longevidade e à redução no desenvolvimento de doenças do coração."

A beterraba contém substâncias boas para o coração
Aos vegetarianos, a nutricionista avisa que a folha da beterraba é rica em fibras e minerais, mas não deve ser consumida regularmente por quem tem essa dieta alimentar, porqúe o ácido oxálico presente nela dificulta muito a absorção do cálcio. "O cálcio é um dos minerais que requerem um bom planejamento em uma dieta vegetariana (restrita ou ovo-lacto), para não haver deficiência."

Curiosidades

Além de fazer bem para o organismo, a beterraba dá sinais de que poderá ser benéfica também para a saúde ambiental. Na Europa, ela é utilizada na produção de biocombustível. No Brasil, em 2008, estudantes de um colégio de Rio Claro (SP) desenvolveram uma tinta à base de beterraba. A ideia do projeto é criar um produto diferente dos convencionais, que não utilize metais pesados que prejudicam o meio ambiente e a saúde.

Alguma pessoas ficam com a urina avermelhada após a ingestão de beterraba. Isso acontece por causa da betacianina, pigmento que dá a cor vermelha ao legume. A betacianina não é decomposta no sistema digestivo, provocando esse efeito, que costuma passar em um ou dois dias.

Fonte: Revista dos Vegetarianos


Receitas relacionadas:

» Suco Energético de Cenoura e Beterraba
» Pudim de Beterraba com Laranja
» Chips Sortidos
» Sopa de Beterraba
» Beterraba com Cobertura Crocante
» Sanduíche Super Natural
» Salada com Beterraba Assada, Tomate e Nozes
» Carpaccio de Beterraba
» Beterraba Assada
» Papinha de Beterraba, Salsa, Mandioquinha e Espinafre
» Sopa Juliana
» Batida de Beterraba, Morango e Nozes
» Salada de Beterraba com Tahine
» Arroz Colorido
» Sopa Creme de Beterraba
» Suco de Laranja e Beterraba
» Arroz de Beterraba
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...